RESENHA: Exorcismo

31 outubro 2016


Título: Exorcismo
Autor: Thomas B. Allen
Páginas: 254
Editora: DarkSide Books
Avaliação: 4/5
Sinopse: Se a ficção consegue ser tão assustadora, imagine o poder contido na história real? Muitos não sabem, mas a obra-prima de W. Peter Blatty, O Exorcista, não se trata de uma invenção. Ela foi inspirada num fenômeno ainda mais sombrio, desses que a ciência não consegue explicar: um exorcismo de verdade. A história real aconteceu em 1949, e você pode conhecê-la — se tiver coragem! — no livro EXORCISMO, do jornalista Thomas B. Allen, lançamento da DarkSide Books em 2016. Exorcismo narra em detalhes os fatos que aconteceram com Robert Mannheim, um jovem norte-americano de 14 anos que gostava de brincar com sua tábua ouija, presente que ganhou de uma tia que achava ser possível se comunicar com os mortos. Thomas B. Allen contou com uma santa contribuição para a pesquisa do seu trabalho. Ele teve acesso ao diário de um padre jesuíta que auxiliou o exorcista Bowdern. Como resultado, seu livro é considerado o mais completo relato de um exorcismo pela Igreja Católica desde a Idade Média. Os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren definiram a obra de Thomas B. Allen como “um documento fascinante e imparcial sobre a lluta diária entre o bem e o mal”.

Comprei este livro ainda no período da pré venda, ficando ansiosa todos os dias para a chegada dessa preciosidade. Eis que assim que tive oportunidade, iniciei a leitura e me surpreendi mais do que eu esperava. E é exatamente por isso, que deixei essa resenha para hoje, 31 de Outubro - Dia do Halloween, porque dentre todas as obras do gênero que já li em minha vida, não vejo uma que se adeque melhor nesta data. 

Thomas B. Allen reúne neste livro, várias pesquisas realizadas ao longo dos anos, do famoso caso do Exorcismo, que embora a primeira vista pareça ser uma história de ficção,na verdade é um caso bem real, que gerou muita repercussão na época. Por este motivo, o autor resolveu manter sigilo da identidade dos envolvidos, onde o nome dos personagens principais foram alterados. 

A história aconteceu em 1949, Robert Manheim é um garoto de 14 anos, que narra sua vida ao lado da sua Tia Harriet. Ela era uma adepta ao espiritualismo, que na tentativa de se comunicar com os mortos, começou a usar uma tábua de Ouija juntamente com as suas habilidades de médium. Após alguns anos, no entanto, Tia Harriet acaba falecendo em Saint Louis e estranhamente sua morte desencadeia uma série de acontecimentos aterrorizantes, barulhos, arranhões nas paredes e objetos se movendo.


A principio a família acreditou se tratar de roedores, fazendo bagunça pela casa. Mas a medida que os episódios se tornarem frequentes e cada vez mais assustadores, começaram a pensar que Tia Harriet estava tentando enviar algum aviso, e com isso, ambos resolvem tentar se comunicar com ela, que através de alguns barulhos manifesta sua presença, provando ser realmente a Tia falecida. 

RESENHA: Joyland

25 outubro 2016


Título da Obra: Joyland
Autor: Stephen King
Páginas: 240
Editora: Suma das Letras
Nota: 5/5

Sinopse: Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.
Olá Pessoal,

Hoje trago a vocês a resenha de mais uma obra de sucesso do renomado autor Stephen King, desta vez a trama é ambientada em um parque de diversões o que obviamente, chamou ainda mais minha atenção, afinal quem nunca sentiu uma energia estranha que emana desses lugares?

A história se começa em Joyland que é um antigo parque, e que como qualquer lugar do gênero possui uma história de fantasma. No caso de Joyland, se trata de uma jovem, chamada Linda Grey, que foi brutalmente assassinada no trem do parque. Na época o caso foi amplamente divulgado pela mídia, pois o autor já vinha praticando crimes parecidos em outros parques de outras cidades. A polícia no entanto, não conseguiu localizar o assassino e por um certo tempo a história foi sendo esquecida ao longo dos anos, mas os moradores da cidade e os trabalhadores de Joyland nunca conseguiram esquecer.


É nesse cenário que conhecemos Devin Jones, um universitário que resolve conseguir um emprego de verão, para arrecadar um pouco de dinheiro e ficar também um pouco afastado do seu pai, que se tornou um homem muito triste após a morte de sua esposa. Devin se hospeda em uma pousada próxima a Joyland e quando começa a rotina do parque, sempre passa pela praia observando as casas de veraneio em volta e claro, uma em especial que tem sempre um garoto na cadeira de rodas olhando para o horizonte e uma mulher que o acompanha.

NA TELA: Nerve - Um Jogo Sem Regras

20 outubro 2016


Título: Nerve - Um Jogo Sem Regras
Direção: Ariel Schulman, Henry Joost
Elenco: Emma Roberts, Dave Franco e outros
Gênero: Suspense 
Nota: 4/5

Sinopse: A tímida Vee DeMarco (Emma Roberts) é uma garota comum, prestes a sair do ensino médio e sonhando em ir para a faculdade. Após uma discussão com sua até então amiga Sydney (Emily Meade), ela resolve provar que tem atitude e decide se inscrever no Nerve, um jogo online onde as pessoas precisam executar tarefas ordenadas pelos próprios participantes. O Nerve é dividido entre observadores e jogadores, sendo que os primeiros decidem as tarefas a serem realizadas e os demais as executam (ou não). Logo em seu primeiro desafio Vee conhece Ian (Dave Franco), um jogador de passado obscuro. Juntos, eles logo caem nas graças dos observadores, que passam a enviar cada vez mais tarefas para o casal em potencial.

Olá Pessoal,

Resolvi escrever essa resenha por ter me surpreendido muito com o filme Nerve, que a princípio me deixou pouco empolgada com o sua premissa, mas a medida que as cenas vão passando, é impossível não ficar curioso e vidrado no longa. Além disso, há uma crítica intricada a este enredo que chega muito próximo de nós navegantes da web e por isso acredito que o maior número de pessoas deveriam assistir esse filme, para refletir um pouco sobre a forma como nossos dados são expostos na internet, o quanto a nossa opinião é importante ao ponto de conseguirmos mobilizar um determinado público, a respeito de qualquer assunto que venha ter adeptos. Enfim, vou parar de divagar e explicar o pouco do filme para vocês.

Nerve nada mais é do que o nome de um jogo online, onde desafios são impostos ao seus players, enquanto os observadores (watchers) ajudam a divulgar os videos, caso os desafios sejam aceitos, sendo que os mesmos podem ou não serem concluídos com sucesso. O jogo ainda tem um diferencial, a cada desafio completo um percentual de dinheiro é transferido para a conta dos jogadores, o que sem dúvidas o torna perigoso e muito empolgante.
Vee (Emma Roberts) é uma garota tranquila, nerd e não muito popular que vive a sombra de sua melhor amiga Sydney (Emily Meade), está última começa  jogar Nerve e sua popularidade só vai aumentando, ao ponto dela questionar o porque da Vee não ser mais descontraída. Após um acontecimento vergonhoso provocado por Sydney, Vee decide começar a jogar Nerve, primeiramente só para provar algo a sua amiga e depois cair fora do aplicativo. 

TOP 5: Livros da Darkside Para Ler no Halloween

18 outubro 2016


Olá Pessoal,

Não é segredo para ninguém que a Darkside Books vem consolidando cada vez mais um público alvo, com ênfase nos amantes do terror atual e clássico, nos fazendo ansiar por suas obras que além de possuir excelentíssimo conteúdo, também são compostos por um trabalho gráfico de qualidade, o que sem dúvidas alguma chama a atenção de qualquer um, para as obras da Editora.

Ainda me lembro de ficar morrendo de ansiedade pela chegada de "A Noiva Fantasma", primeira obra que adquiri da editora e também meu primeiro amor pelo trabalho gráfico deles. Eis que o ano passou e minha lista de aquisições aumentou consideravelmente, embora ainda esteja longe de ser finalizada, já que a cada mês consecutivo a editora nos surpreende com os seus lançamentos. 

Este mês em especial, é sem dúvidas o mês do horror e que forma melhor de comemorar, do que trazer aqui algumas resenhas das obras da Editora e também uma lista de obras que merecem serem lidas neste mês, para aumentar o clima obscuro do halloween. Neste post em especial, não vou apresentar todos os livros gênero da editora - que são muitos - mas sim alguns, que merecem destaque.

Confiram os livros que estou desejando no momento, e se você como eu não gosta de perder tempo esperando, compre logo o de vocês e embarquem no escuro!

1. Ed & Lorraine Warren - Demonologistas - Arquivos Sobrenaturais


Sinopse: Eles enfrentaram os mistérios mais sinistros dos últimos sessenta anos, sempre em busca da verdade. Agora é a sua vez de entrar em contato com o sobrenatural. Você tem coragem? Então leia Ed & Lorraine Warren: Demonologistas, a biografia definitiva dos mais famosos investigadores paranormais do nosso plano astral. Não é de hoje que os fãs do terror conhecem Ed Warren e sua esposa, Lorraine. O casal foi retratado em filmes de grande sucesso, como Invocação do Mal, Annabelle e Horror em Amityville. Mas basta folhear as páginas de Ed & Lorraine Warren: Demonologistas para constatar que, muitas vezes, a vida pode ser bem mais assustadora que o cinema. No livro, Gerald Brittle desvenda alguns dos principais casos reais vividos pelos Warren. Ed e Lorraine permitiram ao autor acesso exclusivo aos seus arquivos sobrenaturais, que incluem relatos extraordinários de poltergeists, casas mal-assombradas e possessões demoníacas. O resultado é um livro rico em detalhes como nenhum outro.

É díficil encontrar uma pessoa que não conheça a história do casal Warren, famosos pelos casos em que solucionaram e por deixarem um legado muito rico de suas experiências como demonologistas, ambos fascinam os amantes do terror que também acreditam no escuro. Quando vi esse lançamento da darkside em meados de julho, fiquei super animada e ansiosa pelo livro, até mesmo fiz um post aqui no blog explicando um pouco mais sobre a edição, que se apresenta em uma edição de luxo mais do que merecida e em breve estará em minhas mãos, pois o livro já está a venda e pode ser encontrado em todas livrarias do país. 

RESENHA: A Noiva Fantasma

17 outubro 2016



Título da Obra: A Noiva Fantasma
Autora: Yangsze Choo
Páginas: 360
Editora: DarksideBooks
Nota: 4/5

Sinopse: Certa noite, meu pai me perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma... 1893. Li Lan é uma jovem que recebeu educação e cultura, mas que vive sem grandes perspectivas depois da falência de seus pais. Até surgir uma proposta capaz de mudar sua vida para sempre: casar-se com o herdeiro de uma família rica e poderosa. Há apenas um detalhe: seu noivo está morto. A Noiva Fantasma é o surpreendente romance de estreia de Yangsze Choo, a escritora de ascendência oriental que está encantando fãs por todo o mundo. Por mais fantásticas que pareçam, as noivas fantasmas ainda resistem até hoje em parte da cultura asiática. A prática, que chegou a ser banida por Mao Tsé-Tung durante a Revolução Cultural, foi muito frequente na China e na Malaia (hoje Malásia) no final do século XIX. O casamento era usado para tranquilizar um espírito inquieto, e garantir um lar e estabilidade para as mulheres que diziam sim a maridos já falecidos. É claro que elas tinham um preço alto a pagar, e com Li Lan não seria diferente.



A Resenha de hoje se trata de um livro que me surpreendeu bastante, não só pelo incrível cenário descrito pela autora, como também pelo enredo que sabe tocar o leitor a sua forma, nos levando a ansiar pela história e refletir com as suas lições intricadas.

O livro conta a história da Li Lan, uma jovem que veio de uma família que possuiu uma boa fortuna por um tempo, mas que depois começou a declinar em virtude da morte da mãe dela, abalando o seu pai  de uma forma que o levou a perder a vontade e tato para os negócios. Sendo assim a jovem vive uma vida razoavelmente bem, com alguns empregados a disposição, mas ela sabe que o dinheiro do seu pai está acabando e sendo assim, o mesmo propõe a filha que se case com o herdeiro de uma família rica e muito bem influente. 


"A prática de arranjar casamento de uma pessoa morta era rara, e costumava ser feita para aplacar um espírito. Uma concubina falecida, que tenha gerado filho, pode ser oficialmente casada para elevar seu status de esposa. Ou dois amantes que tenham morrido de forma trágica podem se unir depois da morte. Disso eu sabia. Mas casar alguém vivo com um morto era um caso incomum e, de fato, horrível".

No entanto o que parecia ser uma solução, se torna um problema, pois o herdeiro Lin Tian Ching acaba falecendo e começa a atormentar sua mãe em seus sonhos, para se casar com a Li Lan. Acontece que ser uma noiva fantasma não é algo muito almejado pelas jovens, no entanto, o pai da Li Lan possui uma grande dívida com a família Ching e a proposta de casamento visa perdoar exatamente essa dívida.


Além disso, a Li Lan também conhece um outro rapaz que é primo do seu suposto noivo,  o  Tian Bai e a moça praticamente tem uma queda pelo jovem e queria se casar com ele. Como se não bastasse toda essa confusão, o Tian Ching começa a atormentar a jovem em seus sonhos, insistindo para que ela se case com ele a qualquer custo. E é exatamente no meio desses sonhos, que ela acaba saindo sem querer do seu próprio corpo, e se perdendo no mundo dos mortos.

RESENHA: Do Éden A Luxúria

11 outubro 2016


Título: Do Éden à Luxúria - O Círculo dos Imortais #1
Autora: Ananda V.
Páginas: 443
Editora: Arwen
Nota: 4/5

Sinopse: Um bar esquecido pelo tempo chamado Devil's Throat — o Gênesis da queda de Melissa Saccer, uma garota que tem sido atormentada por um pesadelo do qual não se recorda ao abrir os olhos. Há centelhas de memórias, passagens de um conto de Edgar Allan Poe, mas nada substancial que possa lhe ajudar. William, um forasteiro enigmático que se comporta como um cavalheiro inglês da época vitoriana. Quantos segredos ele esconde por trás da imensidão de seus olhos azuis? Nessa jornada sombria e solitária que Melissa enfrentará, nada é como parece ser. A verdade, a mentira, o mal e o bem tem múltiplas faces, pontos de vista conflitantes. Esteja preparado para se apaixonar, mas, acima de tudo, esteja preparado para a queda.

Desde do inicio do ano estava curiosa a respeito desse livro que além de ter uma capa deslumbrante, possui uma premissa instigadora, afinal que bela combinação a autora criou ao unir um bar, um poema de Edgar Allan Poe e  um forasteiro misterioso. Finalmente saciando a minha curiosidade, consegui adquirir o meu exemplar e por isso hoje venho trazer minhas impressões a respeito deste livro, só adianto que é impossível se desgrudar das páginas. 

Do Éden a Luxúria nos apresenta a protagonista Melissa Saccer, uma adolescente que vive em uma pensão e intercala o seu tempo entre sair com os dois melhores amigos (Daryl e Megan) e sobreviver ao ensino médio. De uns tempos para cá, no entanto, a jovem veio sentindo estranhas dores de cabeça, acordando assustada de pesadelos que ela não se lembra e ficando com insônia durante as noites. 

Um certo dia Melissa é convocada a visitar um bar com Megan e mesmo relutando em ir ao Devil's Throat, ela acaba cedendo e resolvendo que não há nada de mal em se divertir um pouco. Ao chegar no decadente local, ela percebe que o bar não é frequentado pela melhor clientela, prova disso é quando ela vê Megan conversando com o seu ex namorado Jason, um garoto que tratou sua amiga como lixo. Se sentindo traída por não ter sido comunicada que o rapaz estaria lá, Melissa tenta convencer Megan a ir embora, mas acaba desmaiando durante o processo.
Ao acordar ela se depara com um estranho par de olhos azuis, o dono deles se apresenta como William e este resolve leva-la para casa. Intrigada com a aparência tão exótica dele, Melissa não consegue deixar de ficar interessada e para sua surpresa, ela descobre que William é o seu vizinho, dormindo bem ao lado do seu quarto. Com o tempo os dois começam a interagir mais e o rapaz se apresenta como um verdadeiro cavalheiro, surpreendendo a jovem com todos os seus encantos. 

RESENHA: Corte de Névoa e Fúria

10 outubro 2016


Título: Corte de Névoa e Fúria - Corte de Espinhos e Rosas #2
Autora: Sarah J. Maas
Páginas: 658
Editora: Galera Record
Nota: 5/5

Sinopse: O aguardado segundo volume da saga iniciada em Corte de espinhos e rosas, da mesma autora da série Trono de vidro Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.

Depois de um ano de muita ansiedade, finalmente o segundo volume da série Corte de Espinhos e Rosas chegou em minhas mãos. Só posso adiantar que a obra é chocante, maravilhosa e permeou meus sonhos, pois era impossível não ficar imersa nesse mundo espetacular que a autora criou. Alerto que este livro vem acompanhado de várias reviravoltas, um romance de tirar o fôlego e o final só me faz desejar que os dias passem logo, pois preciso muito da continuação dessa história.

Corte de Névoa e Fúria dá prosseguimento aos acontecimentos Depois da Montanha, Feyre agora é uma féerica com coração humano. E embora ela tenha sobrevivido, a moça se sente cada vez mais quebrada e sozinha, relembrando sempre os acontecimentos da corte de Amarantha. Se perdendo em pesadelos e culpa, ela vai definhando aos poucos, se tornando a sombra de uma garota feliz. Tamlin no entanto, não lhe dá nenhum apoio nessa situação, tratando-a como um animal enjaulado, não deixando nem mesmo que ela saia do palácio ou participe das missões, ele a envolve em vestidos e jóias e a exibe como um troféu: Feyre A Quebradora da Maldição

Se sentindo cada vez mais sufocada por esse aprisionamento, Feyre tenta levar a vida mesmo sem nenhuma inspiração. Tudo muda, no entanto, quando Rhysand o Grão Senhor da Corte Noturna, aparece depois de três meses em silêncio, solicitando que seu pacto seja cumprido: Feyre deve passar uma semana de cada mês em suas terras. Sem muitas alternativas ela acaba cedendo e logo de primeira, Rhys exige que ela aprenda a ler. Intrigada e sem nada o que fazer  ela resolve seguir o conselho. Ao retornar para Corte Primaveril, Feyre continua na mesma solidão e sufocamento, brigando com Tamlin que parece se esquecer de quem tem uma pessoa forte do seu lado, alguém que o salvou enquanto ele ficou totalmente impotente. A reviravolta acontece quando Tamlin nega a Feyre o direito de ir em uma missão, selando a casa com um feitiço, que nem mesmo as janelas se abrem. Diante disso, ela acaba surtando e é salva por Mor, uma jovem integrante da Corte Noturna. Esta veio a mando de Rhysand salvar Feyre, que logo é refugiada por eles.  


A medida que conhece Rhys, Feyre acaba criando um laço de amizade com o Grão Senhor. Este por sua vez, não quer trancafiá-la em casa, pelo contrário, pede a ela que seja sua emissária e que lute ao seu lado em uma guerra contra o Rei de Hybern. Em meio a isso, ela também descobre que possui habilidades extraordinárias, dentre elas o controle mental. Rhysand explora os poderes de Feyre, que fica encantada não só com o Grão Senhor sarcástico e muito sexy, como também pelo mundo novo que ele lhe apresenta e as diversas possibilidades que a vida pode lhe oferecer.

PARCERIA: Autor Delson Neto

05 outubro 2016


Olá Pessoal,

É com muita animação que anunciamos mais uma parceria, desta vez com o autor Delson Neto, criador da incrível saga "Os Guerreiros de Alquemena", cujo projeto se iniciou desde dos 8 anos de idade do autor.  Desde então, este desenvolveu a história ao longo dos anos e agora vai lançar o primeiro volume denominado "A Jornada de Lorenai". Este já se encontra em pré venda na Arwen Store e todos aqueles que adquirem o livro nesse período, recebem de brinde um livro com contos exclusivos da saga (que pode ser solicitado diretamente com o autor) e também um desconto muito atrativo na compra. 

Quando vi este livro na fã page da Editora Arwen, fiquei super intrigada e resolvi perguntar ao Delson se ele fazia parcerias. Eis que para minha surpresa, ele topou fechar este acordo conosco e a felicidade foi imensa, pois é incrível compartilhar e contribuir para o desenvolvimento de um autor, que aliás se mostrou muito disposto a esclarecer dúvidas e conversar a respeito de sua obra. Felizmente já me encontro com "A Bolsa de Contos de Naví" ,que dão inicio a saga. E em breve a resenha deste estará disponível aqui. 

A Equipe do Cá Entre Nós só tem a agradecer por essa oportunidade e confiança. Deixo a seguir algumas informações sobre o autor e a sua obra, não deixem de curtir fã page do livro, que é repleta de novidades. Adquiram também o livro em pré venda e embarquem nesse maravilhoso universo criado pelo autor. 
OS GUERREIROS DE ALQUEMENA - A Bolsa de Contos de Naví


É uma série de histórias que apresentam os personagens do livro que está em pré-venda e dá algumas pinceladas a cerca do universo presente na narrativa. Estes contos agora estão em um PDF especial que serve como brinde para quem adquire o livro na pré-venda - dentro dele há 1 conto exclusivo, nunca publicado antes, que retrata exatamente um momento chave para o início da saga.



RESENHA: A Maldição do Vencedor

04 outubro 2016

Título: A Maldição do Vencedor - Trilogia do Vencedor #1
Autora: Marie Rutkoski
Páginas: 328
Editora: Plataforma 21
Nota: 5/5
Sinopse: Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá? 
Avaliação:

Quando vi o lançamento desta obra, senti que precisava conhecer essa história, que promete um romance, um cenário distópico, elementos aristocráticos e o melhor? Um desfecho deslumbrante. A Maldição do Vencedor é tudo isso e muito mais. 


Kestrel é uma jovem filha do general de Valória, criada em mundo onde as conquistas militares são mais importantes que as demais profissões, o sonho do seu pai é que ela aliste ao exército. Kestrel no entanto, sente que não tem aptidão para isso, mas a outra alternativa é se casar, algo que ela também não tem em mente. 



“Minha alma é sua”, disse ele. “Você sabe disso.”

Um certo dia, enquanto jogava as escondidas nas ruas de Valória, Kestrel acaba se vendo no meio de um leilão. Encurralada pela multidão, ela acaba assistindo o espetáculo de má vontade, até que um escravo em questão lhe chama muito a atenção e quando percebe, Kestrel esta disputando lances altíssimos por ele. Ao conseguir levar o escravo para casa, uma mulher a aborda e diz que ela acabou recebendo: a maldição do vencedor.







Tal maldição, consiste em tornar uma coisa mais valiosa do que ela aparenta ser. Isso se deve ao fato de que, Kestrel sendo filha do general e logo uma pessoa importante, despertou o interesse das outras pessoas ao dar um lance por um escravo, que a princípio não tinha nada demais. No entanto, A levou todos ao despertar a atenção de Kestrel, levou todos a crer que aquele deveria ser um excelente escravo e por isso os lances aumentaram. 

RESENHA: Entre O Sol e A Lua

03 outubro 2016


Título: Entre O Sol e a Lua - Esmeralda #1
Autora: Ana Ferrarezzi
Páginas: 520
Editora: Novo Século
Nota: 4/5

Sinopse: Joana cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para dar um novo rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no Rio de Janeiro. Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã – entidade do Sol – a reencontra e a reconhece como o amor milenar dele. Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora faz parte de uma perigosa batalha entre entidades indígenas e de que irá se deparar com inimigos inimagináveis. Surge entre eles uma paixão sem limites. No entanto, Cauã precisará unir forças para proteger a sua amada. E quebrar o encantamento que o impede de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir, ele precisa de Joana para viver. Num enredo intrigante e mágico, Entre o Sol e a Lua dá vida a personagens míticos e à encantadoras lendas, parte do folclore brasileiro ainda pouco explorado: a mitologia tupi-guarani. 

Este ano sem dúvida alguma, foi aquele em que me aventurei cada vez mais em leituras nacionais, as quais não me arrependi de forma alguma, pelo contrário a experiência foi muito positiva. Com este exemplar da querida Ana Ferrarezzi não podeira ser diferente, lendas tão vivas na cultura brasileira, são despertadas nessa história, dando vida a personagens incrivelmente bem construídos e com característica peculiares, ás quais enriqueceram fortemente o enredo, que aliás não me deixou desgrudar das páginas nem por um segundo. 

"Você e Jaci estão ligados. As suas essências uniram-se há milênios. Assim como o Sol tem o seu ciclo, o que chamamos de máxima solar, o amor também. Ele nasce com uma faísca, sua chama cresce, explode, reduz, para posteriormente reacender novamente. Não entenda que o seu sentimento de amor por Jaci é linear. Não, meu caro... Ele é tão ardente e tão vivo como o Sol."

No livro somos apresentados a Joana, uma jovem criada no interior de São Paulo, morando com os pais e dividindo o seu tempo entre um namoro conturbado com o Rodrigo e uma amizade com seus dois melhores amigos. Saturada da sua rotina, ela resolve se candidatar á uma vaga em uma empresa sustentável no Rio de Janeiro e embora ela não estivesse muito confiante de ser selecionada, para sua surpresa ela consegue um bom cargo e de cara é apresentada á um mundo totalmente novo.


Ao se mudar para o Rio de Janeiro, ela percebe que a multinacional é realmente incrível, com projetos muito bem estruturados e comandada por um grupo de pessoas que além de charmosos, são incrivelmente educados e exalam uma aura diferente e instigante. A medida em que a jovem conhece essas pessoas, ela logo percebe que há algo sobrenatural em cada um deles, sobretudo em Cauã, o lindo CEO, que a princípio teve algumas atitudes que a deixaram confusa, mas logo se mostrou um verdadeiro cavalheiro e também a encarnação da entidade do Sol. Este por sua vez, tem esperado por anos por Joana que é reencarnação da lua e embora ela ache tudo isso um pouco absurdo, logo percebe que a sua natureza advém de uma crença muito antiga e conflitos perigosos do seu passado, além da sua união com Cauã ser algo muito antigo e épico, que pode modificar todo o cosmo.