RESENHA: Mulheres Que Não Sabem Chorar

17 janeiro 2017

Título: Mulheres Que Não Sabem Chorar
Autora: Lilian Farias
Páginas: 205
Editora: Giz Editorial
Nota: 5/5
Livro: Cortesia da autora
Sinopse:A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso.Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas? Mulheres que não sabem chorar é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora crua, ora poética, a trama nos obriga a enfrentar o espelho e se ver como nunca imaginou antes. Pois ao mergulhar neste romance, o que fará você pensar não é a forma como vê o amor, mas sim a forma com que ele se volta em sua direção. Esteja preparado.
Avaliação:



Antes de explanar qualquer opinião sobre essa obra convido você leitor (você mesmo que está começando a ler esta resenha) a ler este livro e tirar sua próprias impressões dele. Claro que a resenha te ajudará em decidir se esta obra estará na sua lista de livros para 2017, mas o convido a ler antes mesmo de saber a minha singela opinião sobre ele. Você não se arrependerá, por que para mim é uma das obras mais tocantes que já li.


Então sem mais delongas, vamos ao que interessa, risos. "Mulheres Que Não Sabem Chorar" (e que, como podemos ver ao longo da história, aprenderam, cada uma a seu modo a chorar) narra a vida de mulheres (não só as personagens principais, como as outras que passam por suas vidas), em especial Marisa, Ana e Olga, cada qual na complexidade da sua existência, suas personalidades únicas e cativantes cada uma à sua maneira.

Se me perguntarem de qual personagem gostei mais não saberei responder, por que cada uma delas abriga características com as quais todas as mulheres (creio eu) nos identificamos. Essa minha afirmação, em um primeiro momento, pode não ser compartilhada pelas pessoas que já leram esta obra ou que virão a ler, por que os traços, os modos que cada uma carrega dentro de si, podem não ser os que dominam a personalidade do leitor, mas com toda certeza em determinados momentos, você leitor e principalmente leitora, já agiu como Marisa, com sua racionalidade extrema, como Olga, nos momentos em que deixou totalmente o emocional te dominar e também como Ana, sendo rebelde contra o sistema, mas ao mesmo tempo escondendo o medo, de enfrentar o passado, de se abrir para uma liberdade da alma.


Marisa, 55 anos, mãe, mulher, controladora e racional. O trabalho com flores é sem dúvida uma contradição com os traços de sua personalidade que deixa transparecer para a sociedade, para seus filhos, porém a sensibilidade presente enquanto florista combina com a mulher que existe no fundo de sua alma, mas que ela manteve aprisionada por vários anos. Foi deixada pelos pais na casa da avó, com quem viveu até os 10 anos. Era posta de castigo sobre o milho e por essa razão guardou uma vingança oculta da mãe, a expondo perante a comunidade em que vivia, após essa ser pega em uma cena com o padre da Igreja local. Após a situação armada por Marisa, esta se sentia melhor a cada vez que olhava para a mãe e via nela uma tristeza. 

Contudo, se tornou com o tempo uma mulher dura, controladora da vida dos filhos, que amava o seu trabalho, mas acima de tudo o via como uma fonte de renda, que lhe permitiu ter uma vida de certo conforto para si e para os filhos, tratava-o então com extrema seriedade e não como um hobby. Interessante foi perceber o modo como a autora, Lilian Farias, apresenta as personagens usando narrativas diferentes. No capítulo Malva Rosa, a personagem Marisa é apresentada como se a Lilian descrevesse a alma dela.

"Marisa privou-se de sentir e tentou compreender o incompreensível, e murchou mais que floresceu. Ela amava as flores, mas as ignorava na essência;julgava demais, tinha verdades demais, o tempo era uno e foi incapaz de refletir sobre as realidades que a cercavam".


É uma descrição em terceira pessoa do singular, mas é diferente, por que não é uma narração de um acontecimento e sim de uma pessoa. O resultado deste capítulo é bárbaro e eu por vezes me vi relendo trechos para absorver e entender esta personagem de tamanha profundidade e isso somente foi possível com a narração, as palavras usadas pela autora (que ao meu ver foram pensadas uma a uma) de modo que a personagem se tornou extremamente real e sua essência estava ali exposta com uma sensibilidade inacreditável. 


Curioso também foi descobrir que Marisa, uma mulher que não se permitia sentir a vida na plenitude das emoções, era vizinha de Olga, uma mulher enfraquecida pelo vício do álcool, que a fez parar no tempo, tendo perdido amigos, o marido e parte da vida, por ter passado quase todos os anos de seus atuais 50 bebendo. A única que ainda permanecia ao seu lado era Maria, sua filha, que apesar de esgotada pelos problemas da mãe ainda a apoiava, via força nela, acreditava na sua capacidade de superar o vício e viver, ainda que a própria Olga não acreditasse mais em si mesma, até que essa, ainda jovem, ficou doente.


"Nenhuma palavra foi trocada entre mãe e filha. Tudo o que precisava ser dito era dito com os olhos. Tudo o que precisava ser compreendido era compreendido com a alma. E tudo que estava enterrado, foi desenterrado pelo amor. Aquelas duas mulheres se olharam por longos e eternos minutos. Apesar das sombras, a ternura ressurgia: mãe e filha, somente".

Falece então abandonando a mãe, agora na solidão de uma realidade em que só existe ela e seu vício. Como promessa feita no leito de morte da filha, resolveu se tratar procurando o A.A. e seu relato comovente o leitor pode conferir no capítulo Cipestre.


Já no capítulo Álamo-Branco, Ana, outra personagem da história, é descrita desta vez, na 1º pessoa do singular, se apresentando pessoalmente para o leitor. Mais a frente na obra, no capítulo Verbasco, podemos conhecer Ana mais a fundo, em uma narrativa em que ela se descreve, o que demonstra uma diferença de narrativa utilizada por Lilian, quando comparamos o modo em que apresentou a personagem Marisa ao leitor, consoante descrevi anteriormente. 

Revoltada com o sistema imposto, esta se formou em Serviço Social e Psicologia, concluindo ambos anos depois do tempo inicial previsto por indisciplina e questionamentos em excesso ao professores. Era rebelde, trabalhava em uma ONG, por vezes era presa, vivia sozinha e por vezes nessas ocasiões de prisão reencontrava a mãe com quem tinha uma relação ruim, mas mesmo contrariada atendia a seu pedido para que fosse ao hospital visitar seu irmão Bruno que era doente e vivia internado.


Ao chegar e olhar para o irmão, ali, ainda em silêncio, a cumplicidade do momento fazem perceber que este era o parente com quem mais conseguia se conectar mais profundamente, apesar que não tinham uma relação de irmãos tradicional. Após o encontro, ao deixar a sala se depara com a figura que evita ao máximo e que sem dúvida é um dos responsáveis principais pelo lado sombrio criado na alma da Ana e que ela teme revelar, acessar, até mesmo nas sessões com sua analista. Correndo para uma praça próxima ao hospital, atordoada pelo encontro com o pai, é abordada por Verônica, que lhe pergunta se precisa de ajuda. Aquela voz poética, como descreveu Ana.

"“Re-conheci”Verônica numa tarde de Sol, segunda-feira. Estava cansada de uma longa caminhada e sentei ao seu lado no banco de uma praça. Ela sorriu pra mim e eu registrei sua imagem junto à luz do sol. Tão bela e poética. Foi amor e nos amamos até hoje. Mas o grito silencioso que percorria as minhas células e me fazia sentir dores nas juntas, primeiro, foi desenjaulado".


E aí? Se anime pra ler esta obra incrível, de tamanha sensibilidade, de histórias de vida de mulheres incríveis, de amor na sua essência, o tão belo amor, que sempre será lindo em todas suas formas. Se permita mergulhar no enredo brilhante criado por Lilian Farias, a quem deixo meu elogio e tiro meu chapéu pela escrita minuciosamente pensada de modo a fazer das palavras retratos das almas das personagens. 

Pra aumentar ainda mais sua curiosidade,leitor, como você leu durante a resenha os capítulos tem nomes de flores, cada capítulo um nome de flor diferente e você entenderá o sentido por que há uma nota explicativa feita pela autora no fim do livro que dá sentido a esses nomes e fecha o conjunto da obra com o que ela mais possui: poesia, a poesia do amor, a poesia das diferentes e iguais, enfim a poesia da vida!!!


32 comentários:

  1. Já conhecia o livro, mas não me chamou mta atenção - a história parece ser realmente excelente, porém não me atrai muito ainda. Fico feliz que tenha curtido tanto a leitura é sempre maravilhoso quando isso acontece ♥

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Raíssa, entendo, por que as vezes em um primeiro momento não nos chama a atenção um livro, mas vale a pena ler esta obra da Lilian, tem uma escrita bem diferente e doce. Não é só pela história em si, mas por todo o conjunto, a escrita, a sensibilidade no trato com os personagens, o designer, enfim. Beijinhos!

      Excluir
  2. Oiii Thaísa, tudo bem?
    Eu sou louca para ler esse livro menina, fiquei apaixonada pela sua resenha e a Lilian é um orgulho e exemplo para mim, tanto quanto autora quanto mulher. Parabéns pela resenha.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgana, ainda não conhecia o trabalho dela, gostei muito ao ler esta obra, quero conhecer o outro livro dela. Obrigada pelo elogio quanto a resenha.Beijinhos.

      Excluir
  3. Nossa, fico muito grata pela resenha, ficou sensível e diferente. Outros aspectos do livro foram explorados. obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lilian, boa tarde, nossa adorei seu livro, você escreve muito bem. Agora estou super empolgada pela leitura da obra, "O céu é logo ali".

      Excluir
  4. Olá,

    Tive a oportunidade de conseguir parceria com a Lilian e assim fazer esta leitura. Eu já tinha meio que uma noção do que esperar do livro, porque participei do evento de lançamento, mas tenho que dizer que o livro me surpreendeu e muito! Foi uma leitura muito marcante e cheia de reflexões.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thayenne, sim, a mim também surpreendeu, Lilian tem uma sensibilidade quase não vista nos autores atuais. E pra contar um enredo como este precisava tocar o leitor e isso ela soube fazer. Beijinhos!

      Excluir
  5. Oie!
    Eu ainda não conhecia esse livro, e gostei bastante do que apresentou na resenha.
    Fiquei bem interessada nessa história, e deu para notar o quanto se surpreendeu com essa leitura.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla, leia sim, você vai gostar muito ;) Beijinhos!

      Excluir
  6. Olá! Gostei muito deste livro, será uma possível leitura para este ano bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, espero que minha resenha te inspire a ler esta obra, você vai gostar. Beijinhos!

      Excluir
  7. Olá,
    Uma obra que para mim é inusitada tanto em seu título quanto nos temas abordados.
    Ainda não tive o prazer de fazer essa leitura, mas tenho que concordar que a autora pensou muito bem em cada palavra utilizada e cada característica das personagens.
    Uma trama envolvente e marcante a meu ver e com certeza pretendo tentar ler em 2017.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michele, sem dúvida foi um livro muito bem pensado e trabalhado pela autora, mão é atoa o sucesso apontado pelas resenhas de vários blogs. Vale a pena conferir. Beijinhos!

      Excluir
  8. oi. :D
    eu ameia leitura do Mulheres, fiquei meio na bad por dias devido a várias cenas retratadas nele... a escrita de Lili é maravilhosa e sensível... fico feliz que tenha curtido...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, sem dúvida é um livro que me tocou, como eu disse na resenha as personagens tem aspectos que nos fazem identificar com elas e isso é muito bacana, por que nos vemos na pele delas, então em alguns momentos é como um desabafo de coisas da nossa própria vida. Que bom que também curtiu. Beijinhos!

      Excluir
  9. Oi, Thaísa
    Você gostou mesmo do livro, hein! Adoro livros sensíveis e ainda mais que conta muito sobre nós mulheres. Com certeza uma ótima dica e a capa é linda. Eu leria com certeza, apesar de não ser prioridade agora.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia, sempre temos uma lista de livros pra ler né, kkk. Eu tenho uma interminável, mas este é uma ótima aposta, por que quando começar não vai querer mais parar até acaba-lo. Você vai ver. Beijinhos!

      Excluir
  10. Oie
    essa foi uam das melhores leituras do ano passado por ser tão sensível e realista a retrata de modo tão cru a realidade de muitas mulheres, a autora é simplesmente encantadora com sua narrativa e sensibilidade, bela resenha e fico feliz que tenah gostado tambem

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catharina, que bom que gostou também. Adorei o modo como Lilian nos apresentou a obra. Singelo e forte ao mesmo tempo. Beijinhos!

      Excluir
  11. Oie, não conhecia esse livro, mas pela sua resenha, que está ótima, parece ser uma leitura bem interessante.

    Beijos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  12. Olá Thaisa, morro de vontade de ler esse livro, parece que a autora conseguiu construir uma narrativa sensivel contando a historia de cada uma das protagonistas *--* Dica anotada.

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi eu já li o livro em outra edição e gostei bastante.
    Muito legal saber que você também curtiu essa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Sabe quando um livro já te ganha pelo título e você lê a sinopse somente para ter a certeza se quer ou não? Gente, não conhecia este livro e o achei muito interessante, como vc disse, podemos nos encontrar em cada uma das personagens.
    Amei a sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? Conheço a autora por alto e sempre tive vontade de ler esse livro, pelas histórias por trás do motivo que a autora a criou. Sua resenha só me deixou com mais expectativas ainda. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Putz! Faz tanto tempo que leio resenhas sobre este livro e fico me prometendo que um dia lerei ... vou começar a caducar e não faço essa leitura. Assim como a sua, as demais resenhas também foram positivas e cheias de emoção. Prova que esse livro é merecedor de atenção. Adorei a resenha, parabéns.
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  17. Eu conheço a Lilian Farias pelo blog, sempre comento no dela e ela no meu, então já tinha visto seu livro por lá e até por outros blogs também, mas confesso que nunca senti muita vontade de ler, mesmo sendo muito elogiado. Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  18. Enfim, gosto de livros que trazem a mulher em sua essência, mostrando o seu real valor. Pois temos cada lançamento ode a mulher não passa de um simples objeto pessoal, que um livro com este tema se torna necessário na literatura atual. Vou já buscar conferir a leitura.

    ResponderExcluir
  19. Hey, tudo bem?
    Adorei saber desse mais desse livro. Na verdade eu já estava querendo ler ele a um tempinho,mas depois dá sua resenha, fiquei com mais vontade de ler. Parabéns pela resenha.

    Beijos Literários.

    www.blogparadaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  20. Olá,
    O livro parece bem sensível. Acho interessante o tema apesar de não ter lido muitas histórias sobre. Ótima resenha.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Debyh, que bom que gostou da resenha, vai gostar do livro, que de fato é bem sensível. Abraços. ;).

      Excluir
  21. Esse livro da Lilian é extremamente profundo de ler...
    Confesso que ainda não peguei, mas já li tantas coisas (positivas) sobre ele que me sinto dentro da história, acho que seria bem vc, me identificaria com cada personagem... talvez esse tenha sido o objetivo, colocar uma caracteristica de uma mulher só em várias..
    Gostei também do modo como a autora costurou as vidas das personagens.. muito inteligente...
    bjs!

    ResponderExcluir