ENTREVISTA: Autora Juliana Daglio

13 junho 2017


Olá Pessoal,

Há um tempo eu estava querendo inaugurar um espaço de entrevistas aqui no blog, em parte pelo nosso alto número de autores parceiros e também pelo fato de que o ano de 2016, foi aquele em que mais me vi imersa em literatura brasileira e por isso estou tentando incentivar vocês leitores, à darem uma chance aos nosso autores nacionais.

Acho que não encontraria ninguém melhor para inaugurar essa coluna. Sendo assim, convidei a autora Juliana Daglio para nos ceder uma entrevista e também falar da experiência dela como autora no mercado brasileiro. 

A equipe do blog, ficou extasiada com as palavras dessa garota, que nos tocou profundamente e é por isso que esperamos que vocês também tenham um incentivo a mais, ao lerem essa entrevista. E não esqueçam de também conferir o trabalho da Ju, que é digno de nota.


L A C R Y M O S A


Sinopse: O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição. Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha. Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas. Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus próprios demônios interiores.

ENTREVISTA

1. Quais os desafios que você encontrou ao tentar publicar um livro no mercado editorial brasileiro? 

Juliana: São muitos desafios, e a cada dia eu acabo me deparando com um novo. Acho que o último e que posso falar com mais sentimentos, é o da comparação com os gringos. Ainda sofro muito com isso, mas entendo. Nós somos criados com a cultura americana pungente em nossas mentes. Filmes, séries, músicas. Acabamos tendo nossas produções comparadas a a esse contexto norte-americano. Eu costumo ambientar minhas obras no país, mas sinto a influência de tudo que eu consumi nas minhas produções. Acredito que mesmo assim, os autores nacionais estejam produzindo ideias originais e muito elaboradas, escolhendo cenários diversos, criando uma boa literatura. A comparação ainda dói e é um desafio, mas ele está devidamente aceito!

2. Quais características pessoais você procura transmitir para os seus personagens? 

Juliana: Procuro criar mulheres de peso de todos os tipos de personalidade. Da mais desajeitada e quieta, à mais forte e ousada. Quero presentar a diversidade do poder feminino e mostrar que mulher não precisa seguir protocolo. Que não tem que ser boazinha o tempo todo, ou feliz o tempo todo. Através dos enredos mais obscuros que as colocam em situações diversas, quero deixar essa mensagem de força para todos os leitores. Ser diferente não é um problema. A sociedade e suas limitações é que são um problema. A diversidade é a coisa mais linda do mundo! 

3. Há uma previsão de lançamento para o livro Lacrymosa? 

Juliana: Ainda não. Estou trabalhando com um agencia literária, fazendo um super Coaching para melhorar o texto e deixa-lo lindo para os leitores. Então vamos procurar um lar para ele. 

4. Você já pensou em escrever outros gêneros literários, por exemplo, fantasia? 

Juliana: Lacrymosa é meu desafio em um gênero diferente. Uma fantasia dark, com enredo puxado para o terror, mas predomina a fantasia. É um grande desafio mesmo, mas estou superando a cada dia e aprendendo muito com ele. Valery é nossa futura Girl Power que respeitamos! Hahahahha Espero que ela conquiste vocês, come me conquista todos os dias em que convivo com elas nas páginas desse livro.

5. O que os leitores podem esperar de Lacrymosa? 

Juliana: Apesar de ser divulgado como um livro de Terror, eu posso garantir que vocês não passarão medo. É um livro que fala de sacrifícios, de amor, de fé e da buscar por aceitar ou rejeitar a si mesmo. Enquanto luta contra dos demônios do exterior, os dois protagonistas enfrentam os próprios demônios. Será que se sacrificar pela pessoa que você ama é realmente certo? Será que devemos nos doar ao outro sem medir consequências? Será que a fé é mesmo a entrega total ao divino, ou ela tem outra definição? Eu deixei essas perguntas implícitas, eu ao final do livro, quando terminei o primeiro esqueleto, eu tinha conseguido uma resposta para elas. Espero que os leitores também encontrem-nas, mesmo que sejam diferentes das minhas.

6. Qual o seu conselho para os autores brasileiros de primeira viagem? 

Juliana: Não desistam!! Leiam muito e não parem de escrever. Comecei lá em 2009, totalmente sozinha, mas você pode encontrar amigos para te ajudarem a continuar nessa caminhada. Não fiquem sozinhos e dividam suas histórias. Elas sempre valerão à pena. <3

7. Quais os seus planos futuros como escritora? 

Juliana: Pretendo concluir a série O Lago Negro e encontrar uma casa para Lacrymosa, porém também quero investir em novas ideias e chegar um dia a viver dos livros, me dedicar somente a eles.

8. Ficamos sabendo da campanha para publicação de Lacrymosa na DarkSide Books, como você se sentiu com essa iniciativa? 

Juliana: Foi uma emoção enorme. Senti que meu trabalho até aqui valeu à pena, pois consegui ter pessoas ao meu lado que lutam por mim e por minhas histórias. Nunca mais estarei sozinha! Vocês são incríveeeeeeeeis! <3


Para quem quiser saber mais sobre o trabalho da autora, não deixem de curtir a fã page dos livros dela. Tem sempre novidades por lá. Vocês também podem encontrar as resenhas da série O Lago Negro e as primeiras impressões de Lacrymosa aqui no blog.

7 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Não conhecia a autora e nem o livro, mas adorei a entrevista. Eu não gosto muito do gênero de terror, mas como a própria autora diz que não passa medo, fiquei com vontade de lê-lo.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    É um presente e tanto conhecer autores brasileiros que estão se destacando bastante ultimamente no mercado literário.
    Sempre que vejo obras assim fico contente porque estamos mostrando que temos muito talento para contar boas histórias, assim como os grandes autores internacionais.
    Torcendo muito pela publicação do livro, ainda mais se for pela Darkside hehe Lendo a sinopse já me veio à mente que é uma história que faz bastante o estilo deles :)
    Muito sucesso! Adorei a entrevista!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia a autora, mas adorei a oportunidade de saber mais sobre ela. Os autores brasileiros enfrentam muitas dificuldades mesmo e é preciso valorizá-los. Imagino o quanto é difícil para a autora essas comparações com livros estrangeiros, mas fico feliz de ver que ela está superando.
    O livro dela não me atraiu muito, por não ser um estilo de leitura que me agrade. Geralmente, eu evito fantasias de terror porque sou muito medrosa e, mesmo a autora falando que não dá medo, eu não sei se leria.
    De qualquer forma, adorei a entrevista e desejo muito sucesso para a autora. Quando o livro for lançado, vou querer ler a resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. é sempre bom incentivar novos autores e suas obras... pela entrevista a gente passa a conhecer mais do autor, e isso é importante... bom saber que ela tá sendo mais reconhecida hoje...desejo todo sucesso pra ela :D
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Vivi!
    Eu sou louca para ler "O lago negro" e estou mega curiosa para conhecer "Lacrymosa", espero poder ler ainda esse ano :)
    Adorei a entrevista!

    Bjs:*

    ResponderExcluir
  6. Oie
    que legal a entrevista, acho que já ouvi falar da autora umas vezes e ela parece ser muito talentosa. Os livros estão muito bonitos

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Conheço a autora vagamente, li umas entrevistas com ela e achei ela uma simpatia em pessoa, aqui mostrou de novo ser uma pessoa que é muito simpatica, e amei a capa do livro.

    ResponderExcluir