RESENHA: Em Águas Sombrias - Paula Hawkins

14 agosto 2017

Título: Em Águas Sombrias
Autora: Paula Hawkins
Páginas: 364
Editora: Record
Nota: 4/5
Sinopse: Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã. Jules não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre para cuidar da filha adolescente que a irmã deixou para trás. Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, de saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos… Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo em seu explosivo livro de estreia, A garota no trem, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente.
Avaliação:


Olá Pessoal,

Li este livro em julho e desde então estou querendo trazer essa resenha para o blog, mas só tive tempo para publica-lá hoje, mas antes tarde do que nunca não é mesmo? Para quem acompanha o blog, sabe que gostei muito de 'A Garota No Trem' primeiro livro da autora Paula Hawkins no Brasil, que misturou muito bem suspense com ação e conseguiu conquistar muitos leitores ao redor do globo, ganhando até mesmo uma adaptação cinematográfica. 

Hoje no entanto, vim falar do segundo livro da autora, "Em Águas Sombrias" que além de possuir uma capa muito intrigante e uma sinopse no mínimo interessante, me deixou muito curiosa para desvendar os mistérios por trás dessas águas sombrias que são o cerne da história. Já adianto que o livro consegue nos conquistar de uma maneira única, que só a autora consegue fazer, no entanto, encontrei alguns problemas nessa leitura. 

A história começa com Jules retornando a Beckford, sua cidade natal e um local onde ela jamais imaginou que voltaria. O seu retorno no entanto, não é nem um pouco agradável. Neal, sua irmã mais velha foi encontrada morta e ao que tudo indicia, se suicidou no Poço dos Afogamentos, que nada mais é que um trecho de um rio que corta a cidade e que ocasionou várias mortes de mulheres, ao longo dos anos. 


Mesmo com certos ressentimentos em relação a Neal, já que o passado das duas não foi fácil. Jules se sente triste pela irmã e não consegue entender o motivo de sua morte. Ainda há sua sobrinha Lena, tão parecida com a mãe e com um humor difícil de lidar. E ainda há o fato de que, um pouco antes de sua morte, Neal havia feito uma série de ligações para Jules, todas ignoradas é claro, mas que conseguiu aumentar o sentimento de remorso em Jules. 

"As coisas que quero lembrar, não consigo, e as coisas que faço de tudo para esquecer não param de voltar à minha memória".

Enquanto aguarda a investigação final da morte da irmã, Jules não demora a descobrir que ela não era muito querida na cidade, principalmente pelo fato de que Neal, vivia pesquisando a respeito das mulheres que foram mortas naquele rio, assunto que deveria estar no passado e que os moradores da pacata Beckford não ousam comentar, mas Neal estava sempre em busca de informações e não desistia do assunto. 


O fato de Beckford ser cheias de segredos, não alivia o fato de que as pessoas que ali residem também possuem seus próprios esqueletos no armário e Jules com seus próprios segredos e ressentimentos, começa a se lembrar dos momentos no passado que a fizeram evitar a irmã e também a cidade. Nessas lembranças, também temos um vislumbre de Neal e de como suas atitudes pareciam contribuir para o sofrimento de Jules.


Mas a medida em que Jules se embrenha mais na história da cidade e obtém informações que não parecem verdadeiras sobre a morte de Neal, várias peças começam a se encaixar e não só ela, como também os demais personagens que possuem sua narrativa própria na história, uniram toda a teia de mistérios que ronda o Poço dos Afogamentos e as pessoas que vivem atormentadas naquela cidade. 

"Eu venho tentando não me entregar, não ceder ao desejo de me deixar arrastar e demoronar, porque sinto que, quando isso começar, nuca mais vai parar".

Confesso que minhas expectativas estavam altas para esse livro, de certa forma não me decepcionei. O livro é contado sobre o ponto de vista de vários personagens, todos com seus próprios segredos e opiniões a respeito do Poço dos Afogamentos. Aliás, a história gira em torno dos mistérios do rio, o que poderia ter sido melhor explorado, principalmente com insinuações interessantes sobre os castigos da Inquisição, mas isto é apenas mencionado de forma vaga no livro e o foco do livro se torna os moradores de Beckford. 

É uma marca da autora na narrativa, sempre fazer com que a vida dos personagens se conectem no final e era exatamente isso que eu já esperava deste livro, no entanto, a quantidade de personagens e suas histórias, de inicio me deixou confusa e só lá para a página 100, foi que consegui me familiarizar com cada um e enganchar de vez na história. Ficou evidente também, que cada personagem ali tinha sua parcela de culpa, ou sentia alguma raiva ou rancor, algum sentimento que não conseguiam deixar para trás e isso de certa forma, trazia muitas explicações ao enredo.


O livro de certa forma, consegue nos prender com um mistério muito intrigante e o que me deixou mais feliz, é que o final não foi nem um pouco previsível. Realmente me surpreendi até a última página, o que tornou essa leitura muito gratificante. Centrado nas mulheres, "Em Águas Sombrias" desvenda os caminhos pelos quais podem seguir o ser humano e revela até onde os nossos segredos mais obscuros, mentiras e ressentimentos, podem manipular e modificar o destino das pessoas. 

"Jamais seria uma dessas pessoas que se entregavam à tentação de ceder, de submergir, de fazer tudo desaparecer, mas era sincero o bastante para admitir que até ele podia enxergar a atração pela entrega total e absoluta".

O livro foi publicado no Brasil pelo Grupo Editorial Record, que caprichou muito nesta edição, a capa é condizente e a diagramação simples. A correção do livro está perfeita, bem como a qualidade gráfica. O mais legal, é que a autora Paula Hawkins estará na Bienal do Rio, o que é uma oportunidade muito boa de pegar alguns autógrafos e de também conhece-la. O blog Cá Entre Nós estará no evento e traremos uma cobertura completa sobre esse dia, sorteios e muito mais. ;) 


13 comentários:

  1. Oi Viviane! Tudo bem?

    A resenha está tão interessante, e bem mais completa que algumas que li por ai. Estava com vontade de conhecer a escrita da Paula e agora a vontade aumentou.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  2. Eu também li "A garota do trem" e acabei com as unhas de tanto nervoso. Não estou no momento ideal para ler o Em águas sombrias, mas é bom saber que ele mantém o padrão da autora. A resenha foi bem clara sobre principais pontos da trama e o que podemos esperar dela. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li esse livro... acho que estou esperando sair o filme... Gosto desse estilo mais no cinema que em livros... Apenas uma questão de gosto.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu tenho esse livro mas ainda não o peguei para ler. Acho a premissa super interessante mas quando for realizar a leitura já tentarei não ir com expectativas muito elevadas. Muito boa a sua resenha (bem mais positiva que a maioria que já li, hehe).

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante da sua resenha, já li o livro e achei fantástico a escrita da autora bem como os mistérios que envolve toda a história. Confesso que adorei.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Eu até to curiosa com esse livro, mas por não ser meu gênero tenho receio de começar e não gostar. Um dia quem sabe eu arrisco a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. OI, Viviane
    Eu também gostei muito do livro. No começo ele é confuso mesmo, por conta da quantidade de personagens, mas depois fica viciante. Que bom que leu e aprovou. Ótima resenha.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Esse livro etá na minha lista de desejados e fiquei feliz em saber que a obra não te decepcionou. Antes de me arriscar nessa leitura quero ler o meu exemplar de A Garota do Trem e espero gostar bastante.
    Abraços,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  9. Olá! Estou com os dois livros dela aqui, mas ainda não li. Gostei de saber sobre esse mistério, espero fixar bem os personagens na mente, já que são muitos. Sua resenha me deixou bem curiosa, beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oiee, tudo bem? Quando peguei esse livro pra ler minhas expectativas estavam altas, pois apesar de não ter curtido muito o primeiro livro da autora, eu sou apaixonada pelo gênero, e o fato de envolver um rio com uma fama macabra só me deixou mais curiosa (morro de medo de água hahaha).Eu adorei essa leitura, só esperava mais do final (assim como esperei também do final de A Garota no Trem, que me decepcionou na mesma escala). Mas fora isso, foi um livro perfeito.
    Gostei muito da sua resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá! A garota no trem eu confesso que não gostei tanto! O filme esclarece alguns pontos, mas também não gostei tanto... A capa desse novo livro da Paula é lindíssima e você fez lindas fotos! Que bom que ela consegue conquistar o leitor, imagino que essa investigação da morte das mulheres no rio cause bastante apreensão durante a leitura. Realmente a editora caprichou na edição, que está linda!
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oie! Tudo bem?

    Estou de olho nessa obra! Amo suspense e todas as resenhas que já li sobre essa obra foram bastante positivas, quero ver se consigo realizar a leitura dele em breve! Ah amei o gatinho na foto! *--*

    BJss

    ResponderExcluir
  13. Oie, tudo bem? Essa autora não é uma das minhas favoritas, tanto que abandonei A Garota no Trem, mas esse livro, apesar da escrita descritiva demais, que me irrita, é de um teor importantíssimo. Aborda de forma crua e realista a misoginia, e nos dá repensar nossas posições e atitudes diante de muitos casos reais. Apesar de ficcional, esse luvro é vem reflexivo.
    Bjs

    ResponderExcluir