RESENHA: BECO DA ILUSÃO - MALLEREY CÁLGARA

22 janeiro 2018

Título: Beco da Ilusão
Autora: Mallerey Cálgara
Páginas: 280
Editora: Mundo Uno
Nota: 4/5
Livro: Cortesia da editora <3
Sinopse: Meu nome é Sarah Wainness, mas este nem sempre foi o meu nome. É apenas mais um, entre tantos que já tive. Minha infância foi feliz e simples, como de qualquer criança da minha idade e do meu bairro em Karnobat, Bulgária. Éramos uma família de cinco irmãos, incluindo eu. Papai, um homem muito bom, enérgico e religioso, frequentava a sinagoga, enquanto mamãe trabalhava em casa, cuidando de tudo e de todos nós. Após recebermos uma herança de um tio falecido que morava em Berlim, mudamos para lá e, ao chegar, deparei-me com uma realidade totalmente diferente da que eu conhecia. Passei a ter vários sonhos, após meu primeiro contato com a cidade. Um deles, tive que manter em segredo, que era ser bailarina. Sempre pegava as roupas da mamãe escondida e ficava rodopiando no fundo do quintal, vendo tudo ao meu redor mudar e, assim, mantinha-me feliz, até o dia que uma visão que tive desmoronou meus sonhos e mudou completamente a minha vida; os nazistas invadiram nossa casa e fui levada para um lugar de prostituição. Meu nome é Sarah Wainness, e já morei no Beco da Ilusão.

Avaliação:

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Hoje eu vim contar um pouco do Livro Beco da Ilusão da Mallerey Cálgara. Já adianto que trata – se de uma leitura incrível - apesar de ser suspeita para falar - porque adoro esse tipo de história que envolve sofrimento e amor ao mesmo tempo. Tenho certeza de que vocês irão se comover com a leitura e até sofrer junto da personagem.

Em um espetáculo de balé, da neta Edwirges, a Yidish (Sarah Wainness) - protagonista da história - revive as memórias de sua vida; lembra-se da época em que morava com seus pais na Bulgária e do sofrimento que vivera antes de ir para Nova York. 

Quando ainda era uma criança, Yidish, que pertencia a uma família de judeus, mudou-se para Berlim porque seus pais receberam uma herança. Ela não mudou só de cidade, pois a sua vida transformou -se de uma forma que ela não poderia prever. Com Hitler no poder iniciou-se o Holocausto Judeu. Nazistas invadiram sua casa, afastando-a de sua família, dos amigos e de seu grande sonho que era tornar-se uma bailarina. Yidish perdera até mesmo a identidade para salvar a própria pele. Foi Nuria, Bertha, Dalina, Sarah...



Na esperança de reencontrar a família viveu os piores dias de sua vida no Beco da Ilusão, lugar onde as mulheres eram levadas para se prostituírem, com a promessa de liberdade. Passou por situações constrangedoras, foi maltratada e humilhada, mas nunca perdeu a esperança e nem desistiu de lutar para reencontrar a família, os amigos e seu amor.


Em meio a tanto sofrimento, Yidish recebeu ajuda, sem saber que estava sendo protegida por seus amigos de infância. Quando finalmente conseguiu sair do Beco da Ilusão, com o desejo de uma nova vida em Nova York, enfrentou situações difíceis, mas se sentia mais forte, pois estava junto de seus amigos: Anton, Donovam e Erdmann – seu grande amor. 

Cálgara conta a história com riqueza de detalhes do holocausto com um misto de ficção e realidade. A forma como escreve nos proporciona imaginar o sofrimento, a angústia e a dor da personagem. Descreve de forma ímpar a tortura e o sofrimento de pessoas tratadas como animais por um governo autoritário e preconceituoso.


Enquanto eu lia, passava um filme em minha mente. O Beco da Ilusão é um desses livros que a gente não consegue parar de ler, mas também não quer que termine. Recomendo para quem gosta de leituras emocionantes.

Quotes

"Tudo o que a memória amou já ficou eterno. E entre tudo que você poderia ser para mim na vida, a vida escolheu torná -lo saudade..."

"Com o sangue petrificado pelo terror, descerrei as pálpebras e me deparei com a pele dos meus braços banhada de sangue. " Não sinto dor. não sinto nada. Será que morri? Que alívio...! pensei."

"Chocada, desviei o olhar e o fixei no chão por um instante, procurando mentalmente convencer minha alma a não mais habitar aquele corpo, a abandonar todas as tralhas para trás e fugir depressa com a água que escorria pelo ralo, indo o mais longe possível"

"Sentimentos não são eternos e o tempo é malicioso, não espera por ninguém"

"Casa. Essa palavra soava tão vaga, tão distante, que pareceu naquele momento não ter nenhum significado. Invadiram o meu lar, minha vida e agora... O meu corpo? O que mais eles poderiam querer de mim?"


9 comentários:

  1. Oii tudo bem?
    Fiquei muito interessada em ler esse livro menina, deve ter sido toda uma tristeza e surpresa receber essa herança, coisa que deve ter mexido muito com a personagem e fez sofrer, levando-a para um lugar desconhecido e triste.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Tudo bom?
    Estou com esse livro aqui para ler. Gosto de história que falam sobre o drama do Holocausto, que é uma fase vergonhosa pra humanidade.
    Amei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oii, de fato, parece ser um livro bem sofrido, nossa. É para quem quer se emocionar, né? Adorei a resenha ♥

    ResponderExcluir
  4. Olá, que bom saber que curtiu o livro. Sou fã da autora. Eu já li ele há algum tempo e também gostei bastante. E a edição está muito linda, né?!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Já faz um tempinho que tenho vontade de ler esse livro. Tenho visto alguns comentários positivos. Gostei bastante da sua resenha, o que me fez ter ainda mais vontade. Sucesso, muito lindo seu blog, bjooo

    ResponderExcluir
  6. ano passado li algumas resenhas do livro e fiquei encantada, pena que não tive ainda a oportunidade de ler a obra, não tenho dúvidas que iria sofrer junto.

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Eu fico com um pouco de receio de ler histórias envolvendo o holocausto. Acho tudo um pouco delicado. Ainda mais por envolver algo tão cruel, sobre o que s mulheres passaram (na história).

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Já tem algum tempo que realizei essa leitura, eu gostei bem, principalmente por envolver fatos históricos na trama. O holocausto é um tema delicado e gostei da autora utilizar esse elemento. Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Oi Jis!
    Eu recebi esse livro há um tempo atrás, mas confesso que até agora não me animei para ler, mas apesar disso, eu tenho curiosidade. Quem sabe esse ano não vai, né?
    Amei a resenha :)

    Bjs!

    ResponderExcluir